Buscar
  • Maura Fritzen

#4. O VERDE EM CASA

Investir em vegetação para dentro do seu lar, vai muito além da decoração, elas também proporcionam diversos benefícios físicos e emocionais. Dito isso, iniciamos o nosso quarto post sobre as 8 especialidades no segmento residencial, que julgamos imprescindíveis para um bom projeto.

Trazer um pouco da natureza para dentro do lar nos permite viver momentos de relaxamento e descanso mental. Além disso, as plantas auxiliam na renovação da energia do ambiente, proporcionam reconexão com a natureza, ajudam a diminuir a temperatura, e uma significativa melhora na qualidade de vida. Promovem muitos benefícios ambientais e emocionais, sem falar no seu embelezamento, cheiro e frescor.

Segundo um estudo feito pela NASA, em 1989, algumas espécies têm a capacidade de melhorar a qualidade do ar em ambientes fechados.


Uma reportagem publicada pela BBC, explica que a pesquisa levou em consideração vários poluentes do ar, além das características das plantas e da facilidade de se obtê-las. E que ao entrar em contato com o autor do estudo, Bill Wolverton, constataram que as recomendações da época continuam valendo e que ele resumiu a lista e recomendou as cinco melhores plantas para limpar o ar de uma casa. Usando essa reportagem como fonte, mostraremos aqui essa seleção:

JIBÓIA (epipremnum aureum)


Um planta folhosa bem popular e fácil de ser obtida. É muito resistente e não requer grandes cuidados. Por isso é bastante utilizada em escritórios, comércio e outros locais públicos.


Se adapta facilmente a temperaturas entre 17ºC e 30ºC, e só é preciso regá-la quando a terra estiver seca.


É eficaz na absorção de formaldeído, xileno e benzeno.

LÍRIO DA PAZ (spathiphyllum)


É uma planta que sobrevive com pouca luz e pouca água. Ela cresce em temperaturas superiores a 18ºC e é bastante longeva.


Se recomenda que ela seja mantida longe de correntes de ar.


Ela absorve os cinco contaminantes de ar analisados pela Nasa: benzeno, xileno, amoníaco, tricloroetileno e formaldeído.


PALMEIRA-DAMA (raphis excels)


Também conhecida como palmeira-ráfis, ela é originária da Ásia e pode chegar a até 3 metros de altura.


Seu cultivo é melhor em áreas com temperaturas medianas e sem luz direta.


De acordo com a agência especial Americana, ela se encarrega de eliminar do ar o formaldeído, xileno e amoníaco.



ESPADA-DE-SÃO-JORGE (sansevieria trifasciata)


De origem africana, é bastante utilizada na decoração de interiores, até por ter a vantagem de sobreviver bem em condições desfavoráveis.

Pode aguentar temperaturas bem altas (até 40ºC) e bem baixas (-5ºC), se esses extremos ocorrerem de maneira esporádica.

É boa para eliminar benzeno, xileno, formaldeído e também o tricloroetileno.

ÁRVORE-DA-BORRACHA (ficus elastica)

É muito resistente e, como tem um alto índice de transpiração, ajuda a manter a umidade do ar.


Em poucos anos, ela pode crescer muito rápido.


É eficiente na eliminação do benzeno, xileno, e também age contra o formaldeído e o tricloroetileno.

26 visualizações

contato.maurafritzen@gmail.com

051 3563-6018

051 99844-2440